Outubro Rosa: Pandemia afetou prevenção ao câncer, alerta deputada Carmen Zanotto

A parlamentar é autora de leis que ampliam o acesso da população ao tratamento no SUS

A vice-líder do Cidadania na Câmara dos Deputados, Carmen Zanotto (SC), disse nesta sexta-feira (02) que a campanha “Outubro Rosa” deste ano deve servir para reforçar o alerta sobre a necessidade de prevenção ao câncer de mama, que foi prejudicada pela pandemia do novo coronavírus.

“Com medo de exposição à contaminação, as brasileiras optaram pelo distanciamento social para preservar suas vidas .Com isso, deixaram de fazer os exames de rotina que ajudam a prevenir a doença. Defendemos que a volta aos consultórios deve ser reforçada por esta campanha tão importante para salvar vidas ”, afirmou.

Segundo pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 63% das entrevistas deixaram de ir ao médio devido à pandemia. O Instituto prevê 66.280 novos casos de câncer de mama para este ano.

Zanotto aponta que a centralização de esforços do SUS (Sistema Único de Saúde) no enfrentamento à pandemia da Covid-19 também contribuiu para a queda na prevenção e atendimento de pacientes de câncer e de outras doenças.
“O combate ao coronavírus exigiu um esforço gigantesco do Sistema. Mas agora, depois da redução da sobrecarga, defendemos urgência na retomada do atendimento de ações e de outras enfermidades que foram represadas durante a pandemia”, afirmou.

Atuação: Além de ser autora da lei que regulamenta o “Outubro Rosa” no Brasil, deputada Carmen Zanotto é autora de legislações que dão direito à população à prevenção, diagnóstico e tratamento de cânceres na rede pública de saúde.